Cheeseburguer NÃO é Baurú

Muitos chamam qualquer tipo de hamburguer de Baurú, no entanto o Baurú é um lanche específico criado em São Paulo. A  importância do sanduíche Bauru para o município do mesmo nome vem por meio da historia de seu criador, Casemiro Pinto Neto, nascido em Bauru (SP) em 5 de abril de 1914. Em 1931, ingressou na Faculdade de Direito da USP no Largo do São Francisco. Como ele e outros intelectuais da época freqüentavam o bar “Ponto Chic”, no largo do Paissandu, Casemiro (“Bauru”), o apelido que carinhosamente ganhou de seus amigos, sugeriu um tipo de sanduíche, que imediatamente recebeu o nome de seu criador: Sanduíche Bauru.

A difusão do sanduíche Bauru não se restringiu somente ao bar onde fora criado e nem tampouco à cidade de origem de seu criador. Em todo Brasil e até mesmo em outros países, o sanduíche Bauru, tornou-se popularizado pela receita composta com os ingredientes (presunto, queijo e tomate), também recebe inúmeras variações considerando as influências regionais e adaptações, ora acrescentando ou retirando alguns ingredientes, porém não deixando de levar o nome da cidade de Bauru a todas as lanchonetes e bares onde é confeccionado.

A preservação e valorização deste simples sanduíche, como patrimônio imaterial da cidade, que é lembrada como a cidade do sanduíche, é motivo de orgulho e estima aos bauruenses. O Sanduíche tem em sua receita original o pão francês sem miolo, fatias de roastbeef, queijo derretido, rodelas de tomate, pepino em conserva, orégano e sal a gosto.

A História do Sanduíche Bauru

No ano de 1931, Casimiro Pinto Neto, ingressou na Faculdade de Direito da USP no Largo do São Francisco. Orgulhoso de sua cidade natal, sempre foi conhecido pelos colegas como “Bauru”.

Juntamente com seus contemporâneos (estudantes, artistas e intelectuais), freqüentava o restaurante “Ponto Chic”, no Largo do Paissandu. Muitas são as histórias relacionadas ao Ponto Chic, passando por Madame Fifi com suas francesas nos altos do mesmo prédio, assembléias de estudantes da Faculdade São Francisco, MMDC e a revolução de 32, a invenção do sanduíche mais famoso do Brasil – O BAURU, as discussões políticas, o futebol, a Gazeta Esportiva, o basquete, negociação de craques, chegando a idéias, textos e composições inspiradas pelo ambiente. Até os dias de hoje o Ponto Chic mantém sua tradição de oferecer aos clientes, em sua forma original, o sanduíche mais famoso do Brasil – O “BAURU” (PONTO CHIC, 2006).


Figura 1 – Ponto Chic  /  Fonte: Ponto Chic (2006)

Numa noite, em 1934, procurou apressadamente, o cozinheiro do restaurante (Sr. Carlos), e “ditou” a receita do sanduíche: pão francês sem miolo, uma porção de queijo derretido em banho-maria, fatias de roastbeef, rodelas de tomate e pepino em conserva (picles).

Segundo Casimiro, essa receita incluía os elementos básicos de um lanche equilibrado em albumina, proteína e vitamina, conforme havia lido em um livreto de alimentação para crianças, da Secretaria de Educação e Saúde, escrito pelo Ex-prefeito Wladimir de Toledo Pisa, também freqüentador do Ponto Chic.

Quando estava comendo o segundo sanduíche “Quico” (Antônio Boccini Jr.), um amigo que era muito guloso, pegou de sua mão um pedaço do sanduíche e gostou. Aí, pediu ao garçom, um descendente russo chamado Alex, – Me vê um desses do “Bauru” -. Na mesma noite, outros freqüentadores pediram o novo sanduíche, dizendo que queriam um “igual ao do Bauru”. Nascia assim um dos mais famosos lanches do Brasil, hoje conhecido até em outros países.

Em Bauru o sanduíche foi divulgado por José Francisco Júnior (o Zé do Skinão) que conheceu Casimiro Pinto Neto em meados 1957. Transformou sua lanchonete (O Bar do Skinão) no principal ponto bauruense de divulgação do Sanduíche Bauru, o fazendo muitas vezes gratuitamente.

Atualmente o tradicional Sanduíche Bauru pode ser encontrado nos seguintes estabelecimentos: Skinão lanches (Rua Rio Branco esquina com Rua Júlio Maringoni); Bauru Chic (localizado próximo ao Bauru Shopping); Bar Aeroporto (no Aeroclub de Bauru); Buffet Mantovani (Av. Elias Miguel Maluf, 1-25), além do Bar e Restaurante Ponto Chic em São Paulo (Largo do Paissandu, 27).

A receita
Ingredientes do Sanduíche Bauru
Foto: Kátia Santicelli – Arquivo OHL Brasil
  • Pão francês sem miolo
  • Uma porção de queijo
  • Fatias de roastbeef
  • Rodelas de tomate
  • Rodelas de pepino (picles)
  • Sal e orégano a gosto
Modo de Fazer
Divida o pão em duas partes e retire o miolo. Coloque o roastbeef frio (o roastbeef deve ser preparado com antecedência.) em uma das partes. Sobre o roastbeef, disponha rodelas de tomate e as de pepino. À parte, prepare o Banho-Maria, coloque um pouco de água numa assadeira para esquentar. Coloque o queijo que, ao derreter, deve ser retirado e disposta na outra fatia de pão. Una as duas fatias do pão. O calor do queijo aquecerá os demais ingredientes do sanduíche.

Roastbeef – Uma peça de lagarto de aproximadamente 2 quilos; Sal grosso; Aqueça bem o forno antes de colocar a carne para assar! (Se quiser fazer um pedaço maior ou menor de lagarto, calcule sempre 20 minutos de forno por quilo de carne). Modo de preparar: Limpe bem a peça de lagarto; Forre uma assadeira com papel de alumínio e espalhe uma camada de sal grosso; Coloque a carne e cubra-a com sal grosso; Asse em forno bem quente por quarenta minutos; Deixe esfriar e raspe todo o sal grosso com uma faca; Coloque no congelador por uma hora e corte em fatias finas. Esta é um de várias formas de se preparar o Roastbeef.

Ingredientes do Sanduíche Bauru
Foto: Kátia Santicelli – Arquivo OHL Brasil
Comprovação dos Ingredientes
Após pesquisas realizadas, é possível afirmar que o pão francês existia na época da criação do Sanduíche Bauru. O que poderia destoar é a consistência devido a utilização de fermentos distintos e o tipo da farinha de trigo encontrada, o que tornava os pães da época mais “massudos” do que os de agora. Também salienta-se que o tamanho (peso) do pão da época não era regulamentado em nenhuma tabela específica. Concluí-se que o tamanho do pão francês poderia ser diferente do padrão atual, o que não descaracteriza o sanduíche hoje.

Após a analise de livros e relatos históricos de pessoas que vivenciaram o período de criação do Sanduíche Bauru, tem-se que o queijo utilizado provavelmente seria o queijo Mussarela. Isto se justifica por ser esse um queijo muito utilizado na época, de custo acessível aos estudantes e de fácil manipulação (no caso, derreter em banho-maria). O pepino em conserva utilizado hoje em dia foi incluído oficialmente no lanche na década de 50; pois, como Casimiro Pinto Neto tinha problemas de úlcera gástrica, era impedido de consumir certos alimentos, o que de vez em quando, e num botequim, na companhia de amigos, não faz mal nenhum abusar um pouco desta recomendação.

Valor nutricional
O valor nutricional da composição energética dos ingredientes foi calculado com os produtos in natura. Processando o derretimento do queijo nota-se uma redução de gordura, ficando retida na água do banho-maria que deve ainda ser deduzido das kilocalorias totais do sanduíche.
Ingredientes Peso (gramas) Kcal
1 pão francês, sem miolo 30 80,7
3 fatia de queijo mussarela 45 146,16
3 fatias de roastbeef 45 74,7
3 rodelas de tomate 15 3
3 rodela de pepino (picles) 10 2
Total 145 306,56
Fonte: Webcalc – Esporte e Saúde – nutrição: composição química e energética dos alimentos.
Disponível em: http://www.webcalc.com.br/frame.asp?pag=http://www.webcalc.com.br/esporte/composi_ab.html.
Acessado em: 02/06/06.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *